Alimentação consciente: o que é como isso pode te ajudar

Publicado em 29 de outubro de 2020
Alimentação consciente: o que é como isso pode te ajudar

Mastigar mais devagar, prestar atenção às sensações e emoções ligadas ao alimento fazem parte da alimentação consciente, abordagem que leva a atenção plena para a mesa

Comer é um dos grandes prazeres da vida. Quem não gosta de desfrutar de uma comida gostosa, com calma, ao lado de pessoas queridas?

Porém, no dia a dia, é muito comum trocar o prazer pela pressa e, em vez de desfrutar de uma refeição, comer algo rápido, só pra se alimentar.

Esse é o comportamento oposto ao que prega a alimentação consciente, conceito que vem do mindfulness.

O mindfulness é uma técnica de meditação que propõe se concentrar no presente, com curiosidade e sem julgamento.

Então, na alimentação consciente você não vai simplesmente colocar comida pra dentro. Mas vai comer prestando atenção em cada detalhe: ao cheiro, à temperatura, ao sabor, à textura, às cores daquela comida.

E isso vale tanto para uma bala quanto para uma refeição completa.

Alimentação consciente e saúde

Embora possa se refletir na perda de peso e no ganho de saúde, a alimentação consciente não é uma dieta, mas um estilo de vida.

É uma prática que permite todos os alimentos, desde que você preste atenção a eles. E também aos hábitos associados à alimentação, como tamanho das porções, duração das refeições, pensamentos e emoções inconscientes e irrefletidos relacionados à comida.

“Ao se concentrar no comer consciente e nas suas sensações de fome e saciedade, você melhora seus hábitos alimentares, seu estilo de vida e sua imagem corporal, a atividade física, a satisfação do corpo, e diminui a busca pela magreza”, diz a nutricionista Sophie Deran no livro O peso das dietas.

Alimentação consciente e o teste da uva passa

O mindfulness apresenta a alimentação consciente por meio de um exercício feito com uma simples uva passa. É como se você meditasse enquanto come.

A ideia é pegar uma uva-passa, fechar os olhos, senti-la nas mãos, perceber a textura, o aroma, o tamanho, qual a sua expectativa em comê-la.

Já na boca, é perceber todas as sensações que existem antes, durante e depois da mastigação. Se ela está macia ou não, se é doce ou ácida, se derrete na boca. É gastar um tempo maior do que o normal para comer uma simples uva-passa.

“Neste exercício, deixamos que uma uva-passa se torne o objeto principal da atenção e experimentamos o universo dos sentidos e do corpo em relação a ela, com detalhes que não costumamos observar e bem mais devagar do que comeríamos normalmente. A passa se torna também o mestre de meditação, potencialmente revelando aspectos de seu relacionamento com a comida e do ato de comer que com frequência não vem à tona, à superfície da consciência”, diz Jon Kabat-Zinn, médico e estudioso do mindfulness.

Que tal experimentar degustar uma uva-passa com toda a calma do mundo?

Saiba mais

Compartilhar

Botão Whatsapp