Conheça jeitos diferentes de ter plantas em casa

Publicado em 29 de setembro de 2020
Conheça jeitos diferentes de ter plantas em casa

Seu lar pode ser um lugar de profunda conexão com a natureza, mesmo que você não tenha muito espaço ou tempo para se conectar com o verde. Incluir plantas em casa, comprovadamente, já traz benefícios para a saúde.

Plantas em casa faz bem. Os japoneses reverenciam a natureza, acreditam no seu poder curativo e até receitam um tempo imerso nela como terapia para tratar alguns problemas de saúde. É o Banho de Floresta, uma técnica de imersão na natureza que, por lá, é levada muito a sério, inclusive com a certificação de florestas. Já ouviu falar?

As pesquisas sobre os benefícios desse contato com a natureza carecem de mais incentivo e rigor, mas uma coisa é certa: o contato com a natureza estimula a liberação de endorfina, o hormônio do bem-estar. Isso, aliado ao estar em um lugar belo e de ar puro, já traz inúmeros benefícios. Natureza convida à contemplação, ao silêncio, à calma, elementos que só fazem bem.

Mas, nem sempre podemos estar imersos nessa natureza mais selvagem. Porém, isso não precisa ser uma sentença de desconexão total com o verde. Ter plantas em casa é uma forma de estarmos mais próximos do verde. 

Como ter plantas em casa?

O pesquisador japonês Yoshifumi Miyazaki, que estuda uma área chamada de “medicina florestal”, diz que “outros estímulos naturais, como parques, flores, bonsai e até pedaços de madeira comprovadamente reduziram o estresse, fazendo com que esses efeitos [de bem-estar] sejam possíveis para todos nós, até quem mora em cidades”.

No livro Wabi-Sabi, em que a autora Beth Kempton explora o conceito oriental de simplicidade e aceitação da imperfeição, um dos pontos abordados é justamente encontrar formas de incorporar a natureza de verdade nos espaços de casa usando flores, ramos, sementes, penas, folhas, conchas, pedregulhos, buquês de flores e cestos feitos à mão.

Não se trata apenas de decoração de ambientes, mas de levar para a nossa casa – um lugar que precisa evocar conforto e descanso – elementos que nos aproximem ainda mais da natureza. “Descubra a alegria de encontrar esses objetos e decorar você mesmo o ambiente, criando poesia visual com os presentes da terra e do mar”, Beth diz no livro.

A gente te ajuda com 3 dicas de como é possível ter plantas em casa de forma simples e ainda deixar a casa mais bonita!

Quadros com plantas secas

Os herbários científicos são lugares onde as plantas são conservadas e catalogadas para fins de pesquisa. A forma de guardá-las é desidratando-as e colocando-as em um papel cartão com informação sobre a espécie, o local onde foi encontrada, forma, cor etc. O nome destes “cartões” é exsicata e todas informações contidas ali precisam seguir o rigor científico.

Nestes herbários, as plantas são desidratadas em estufas com luz e temperatura controladas, o que é bem importante para evitar a proliferação de fungos. Essas técnicas de secagem de plantas extrapolam o universo da ciência e podem entrar nas nossas casas em forma de arte. Quem nunca colocou uma folha ou uma flor pra secar no meio de um livro?

As plantas secas viram quadros que, embora não tenham o benefício do ar puro e do estímulo à biodiversidade, aproximam as pessoas do universo botânico e da arte ao mesmo tempo, ou seja, uma ótima forma de ter plantas em casa. Esses quadros não precisam ter o rigor científico dos herbários. Pelo contrário, podem brincar e estimular a criatividade.

Madeira

A madeira é, talvez, o elemento natural mais fácil de termos em casa. Ela se faz presente em móveis, molduras, portas, janelas, esculturas etc.

Você também pode usar galhos secos em arranjos ou buscar trabalhos de artistas como a Natália Felipe, que usa pedaços de madeira como uma tela para desenhar. Com pincel e tinta acrílica, ela desenha formas da natureza de maneira livre e criativa.

Terrários, mais do que plantas em casa

Por fim, os terrários são ecossistemas engarrafados, eles são um jeito diferente e prático de ter plantas em casa porque demandam poucos cuidados e sobrevivem por longos períodos. E ainda têm uma história interessante, muito ligada a ciência.

O primeiro modelo de terrário surgiu em Londres, no século 19, e ficou conhecido como Wardian Case. A montagem deste terrário entra na conta do Dr. Nathaniel Ward, um médico e colecionador botânico que estava em busca de uma maneira para cultivar suas plantas (principalmente as samambaias) livres da poluição de Londres.

Observando o desenvolvimento de pupas de borboleta dentro de um vidro, ele percebeu que algumas plantas se desenvolviam muito bem naquele ambiente fechado e resolveu testar com algumas da sua coleção. Deu certo e a Wardian Case se tornou um sucesso e um instrumento importantíssimo na vida dos botânicos, pesquisadores e caçadores de plantas. Foi por causa dessa descoberta que muitas espécies puderam viajar de um lugar para outro em uma época na qual os trajetos levavam meses. Mudas de chá, por exemplo, viajaram da China para a Inglaterra em recipientes como a Wardian Case. A nossa seringueira saiu do Brasil e chegou à Inglaterra também desta forma.

E aí, qual vai ser sua escolha para ter mais plantas em casa?

Compartilhar

Botão Whatsapp