Lifelong Learning: por que podemos ser aprendizes pela vida toda?

Publicado em 7 de outubro de 2020
Lifelong Learning: por que podemos ser aprendizes pela vida toda?

Esse palavrão em inglês – lifelong learning – significa “aprendizagem ao longo da vida” e é cada vez mais relevante nas sociedades longevas, em que as pessoas são produtivas por muito mais tempo.

Vivemos em uma sociedade muito mais dinâmica do que era há 10 ou 20 anos. Hoje, as pessoas trabalham de casa, acessam informação pelo celular que carregam no bolso, não precisam estar presentes fisicamente em uma reunião ou aula e podem se comunicar por meio de vídeos, com pessoas em qualquer lugar do mundo .

Tudo isso tem a ver com a tecnologia, que encurtou distâncias e trouxe novas possibilidades para a vida e as relações. Ao mesmo tempo que essas mudanças acontecem, estamos vivendo mais. E essa expectativa de vida deve continuar a crescer.

Um novo tipo de aprendizado para um novo mundo

Neste cenário, será que ainda faz sentido o foco do aprendizado ser na infância, adolescência e início da vida adulta? Ou seria mais lógico pensarmos em uma aprendizagem contínua, que é aperfeiçoada em vez de se encerrar?

É justamente aí que está o conceito de lifelong learning, ou aprendizado ao longo da vida. É uma referência à busca de conhecimento de maneira contínua, voluntária e auto motivada. E isso pode ser feito tanto por meios formais (como escolas, universidades, cursos), quanto de maneira informal.

De certa forma, isso sempre existiu porque, afinal, as pessoas sempre aprenderam com as vivências além da educação formal. Mas nunca foi valorizado e até ficava escondido, porque aquela educação da escola e da universidade sempre foi mais importante.

Porém, nessa sociedade dinâmica, em que tudo é mais rápido e o conhecimento é mais democrático, o lifelong learning se tornou algo a ser buscado em todas as fases da vida.

Este longo aprendizado nos ajuda a ser mais flexíveis, a nos adaptar melhor às mudanças profissionais e pessoais, ao avanço tecnológico e até mesmo a uma pandemia!

Os pilares do lifelong learning

Embora muito relacionado ao estilo de vida dos millenials, o lifelong learning é um conceito relevante para a maturidade. Afinal, ninguém para de aprender aos 50, 60 ou 70 anos. Os aprendizados são constantes.

A verdade é que a maturidade traz com ela aprendizados que vêm da experiência. Porém, as pessoas podem buscar novos conhecimentos em qualquer idade. E isso é lifelong learning. É nunca deixar de aprender. Mais do que isso: é aprender a aprender.

Existem 4 pilares que sustentam esse conceito: Aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. São pilares que formam um ciclo contínuo que se realimenta. Você conhece, faz, se relaciona e transforma. Tem a ver com desenvolvimento pessoal, com a construção contínua da pessoa. É, portanto, o aprendizado da vida.

O olhar de aprendiz

Muitas vezes, o aprender está relacionado à imaturidade, à infância. Mas a verdade é que aprender é algo que se pode fazer a vida toda, até o último suspiro.

Você pode aprender novas habilidades dentro daquilo que já faz parte do seu universo, mas também pode aprender algo totalmente novo.

Esse aprendizado totalmente novo é muito interessante porque, não raro, acaba despertando um novo interesse, uma nova profissão, um novo prazer. Daí saem, por exemplo, muitos empreendedores que acabam descobrindo uma nova habilidade por causa do aprendizado fora da escola.

Por isso que o lifelong learning tem a ver com desenvolvimento pessoal. Afinal, a vida é cíclica e para encarar os novos ciclos o ideal é estar aberto às novas experiências.

E aí, qual foi o seu aprendizado hoje?

Compartilhar

Botão Whatsapp